Em carta, família de Vaqueiro assassinado fala da guerra em Janduís e pede “justiça”

Uma carta escrita pela família do vaqueiro Henrique Garcia da Silva, 46 anos, morto por bandidos supostamente envolvidos em um assalto a banco na cidade de Brejo do Cruz-PB, e que acusou Henrique de dar informações à polícia, aponta nomes de vítimas da violência que ceifa vidas em Janduís.
O conteúdo quer mostrar que é hora de parar com tudo isso, e que a família Garcia, acusada de inflamar a guerra no entorno de Janduís, é apenas uma vítima como tantas outras e que a guerra por lá existente e corriqueira, se arrasta há anos. Nessa mesma carta a família do Vaqueiro pede JUSTIÇA.
Carta representando os familiares do vaqueiro.
A família do vaqueiro apenas tá querendo se defender das acusações, antes do Vaqueiro morrer essa guerra já acontecia em Janduís. Vicente Veras, César Veras, Antonio Veras, Walter Veras, Aguinaldo Veras, Marcelo Veras, Joaquina Saldanha e seu pai Antenor Saldanha, Bandeirante, Rivaldo Tratorista, Edivaldo, Nildo, Karol, Valdir Brito, José Vieira, Raimundo Morais, Paraíba, Fabão, Chico Goleiro, Petrucio e Jenifran.
A família Garcia nasceu e se criou em Janduís trabalhando honestamente, e esta família teve que abandonar a cidade. As investigações só tão investigando mortes depois que o vaqueiro morreu, e justamente o vaqueiro foi morto em seu trabalho.
Mortes da família do Vaqueiro: Seu sobrinho Marcelo, seu irmão Ailton, seu filho Ari e irmão Dedé foram mortos trabalhando.
A família pede uma resposta às autoridades porque a família do vaqueiro tem seu nome acusado só quando morre alguém que não é da sua família, a família Garcia se sente ameaçada porque todo crime que acontece é a primeira ser acusada, e essa guerra já existia há muitos anos atrás.
A família do Vaqueiro tá se sentindo ameaçada por uma guerra que já existia a muitos anos atrás pede as autoridades investigações.
Assina: REPRESENTANTE MEMBRO DA FAMÍLIA GARCIA. PATRÍCIO GARCIA FILHO DO VAQUEIRO. 




 Publicidade


 O  Lojão Fortaleza,  temos confecções e calçados para homens mulheres e crianças, além de artigos de cama mesa e banho, peças apartir de 10,00 reais
aguardamos sua visita, rua Martins Ferreira, centro Macau, vizinho a camara municipal

Nenhum comentário

Publicidade