Macau: População chama atenção da Prefeitura para “criadouro de Aedes aegypti” nas ruínas do Teatro Hianto de Almeida

Publicidade

Macau: População chama atenção da Prefeitura para “criadouro de Aedes aegypti” nas ruínas do Teatro Hianto de Almeida

Nas redes sociais se multiplicam os apelos da população macauense para que a Secretaria Municipal de Saúde mobilize os Agentes de Saúde para agirem, enquanto é tempo na vigilância das ruínas do Teatro Municipal Hianto de Almeida. Alagado devido às últimas chuvas, o espaço tem uma reserva razoável de água parada, podendo trazer sérios problemas para a saúde, principalmente com o risco de virar criadouro do mosquito Aedes aegypti, vetor de doenças como dengue, febre amarela, chikungunya e zika vírus. 
Celso Amancio
 
 
 Publicidade

Cento médico Macau e Prolab mais espaço e serviços para a população
Centro médico Macau e Prolab mais espaço e serviços para a população

O Centro Médico Macau e o Laboratório Prolab ampliam o leque de serviços à população,  com o Centro de Diagnóstico por Imagem, realizando exames de Raio X, Mamografia e Ultra Som, entre outros. oferecendo serviços médicos de excelência através de uma equipe especializada.
Maiores informações no Centro Médico e Laboratório Prolab –  na Rua Amaro Cavalcante, 122, centro, ou nos telefones: 3521-2370 e 3521-2203.
 
 

Salários: Governo do estado define datas de pagamento do funcionalismo referente a janeiro


O pagamento do funcionalismo estadual referente ao mês de janeiro será realizado nos dias 04 e 05 de fevereiro.
Os servidores aposentados e pensionistas terão os vencimentos depositados dia 04, enquanto que o salário dos ativos será creditado no dia seguinte,, de acordo com informação da assessoria de imprensa do governo estadual.
O pagamento dos servidores nos primeiros dias do mês subsequente, conforme previsto em lei, garante o salário integral de todo o funcionalismo.
A medida foi necessária em virtude da crise econômica que afeta o país, especialmente os estados mais dependentes das transferências da União.
O RN sentiu o impacto da queda acentuada dos repasses federais, em especial royalties, Fundo de Participação dos Estados (FPE) e ICMS.
As frustrações nas receitas chegaram a R$ 613 milhões em comparação ao orçamento previsto para o exercício de 2015.
Somente de royalties o Governo deixou de receber 45,38% dos recursos previstos no ano passado.
No FPE a frustração real chegou a 7,39% e continua em 2016 com previsão negativa já anunciada de 15,7% a menos do que o valor transferido pela União em janeiro do ano passado.
 

Nenhum comentário

Publicidade